Arquivo de 14 de outubro de 2010

.mutantes.

Publicado: 14 de outubro de 2010 em Uncategorized

.acordei com um gosto amargo na boca. um asco de impotência diante do mundo. com um niilismo cruel.desculpem essa incontida vontade de chorar. não. não estou na cadeira de um analista. estou deitada na rede pensando no que será de mim agora.

.encontro-me aqui tal qual um bezerro desmamado, criança que descobriu que papai noel não existe, lutador de boxe que foi pego de surpresa em nocaute. levei um soco de alguém chamado realidade. ah, e a realidade dói, posso garantir.

.eu, que sempre gostei de um pouco de fantasia, percebi que há momentos em que não podemos fechar os olhos e ficarmos imersos em um sonho irreal. também é necessário por um pouco de poesia na vida, senão ela se torna intragável, indigesta.

.estou me sentindo doente de uma doença que não tem nome. talvez vergonha, medo, raiva, asco também. de repente me bateu essa vontade aquariana de mudar o mundo, mas, não poder, dói. dói na boca do estômago e sinto novamente essa vontade de chorar. em que mundo nascerão as crianças? em que espécie de lugar feito de mentiras e corrupção? é angustiante e doloroso não saber em quem e em que acreditar.

.hoje o mundo está pálido, desbotado. quebrou-se o encanto da vida. por hoje, não sei o que fazer. que sentido há se tudo parece mentira? não há mais chão onde pôr os pés.

.espero mudar mais tarde, quando descer dessa rede e enfrentar mais essa “alba sanguínea”. .espero achar graça na vida de novo. espero colocar lirismo na dor e encontrar, de alguma forma, algo de bom pra me prender. a esperança se escondeu de mim. cadê o amor? cadê a verdade do mundo? não quero essa, mas também não posso recusá-la. eu só queria poder mudar alguma coisa. tudo que eu deveria fazer agora era continuar. talvez, fingir que nada aconteceu, que nada vi, que não tem nenhuma marca na minha cara. mas não dá. quando a gente perde “isso”, não tem mais volta. meus olhos mudaram. eu mudei. ainda bem que somos mutantes.

Anúncios