Arquivo de julho, 2010

.choremos o leite derramado.

Publicado: 30 de julho de 2010 em Uncategorized

.chorar é bom. chorar de alegria, de rir, é bom. chorar de tristeza… faz bem. se tem algo apertando o peito, se tem um nó na garaganta que me impede de respirar, se tem um peso no coração, se tem um medo que paraliza, se tem um desespero que parece não ter fim, se tem uma dor que paresse não passar ou se tem uma tristeza que deixa o mundo sem saída, é só chorar. mas tem de ser só.

.tranco a porta do quarto, deito na cama e fecho os olhos. choro como se o mundo acabesse neste instante. dali a 30 minutos, passou. achei uma saída e tudo nem parece mais tão difícil quanto era. sabe por quê? porque as lábrimas lavam a alma, levam com elas tudo que havia de ruim, curam as dores e cicatrizes, mas agem psicologicamente de uma forma muito melhor. lembram-me de ser teimosa. antes de chorar, sempre penso em desistir. mas depois, a força cresce em mim e eu me torno eu de novo, só de mal. só de teimosa eu vou ser feliz. só de temiosa vou fazer, vou sentir, vou sonhar e cair mais quantas vezes forem preciso. e, no cair, levantarei de novo, com ajuda ou não. chorar dói, mas é daquelas dores como o ardor do merthiolate. tem que arder, pra fazer efeito.

.chorar não é ser fraco. mas, se há aqueles que pensam assim, chorem escondidos, mas chorem. choremos nossas dores, nossos amores, nossos filhos, nossa vida. choremos nós mesmos, choremos deus, choremos a natureza. choremos até o leite derramdo, poi,  só assim, teremos força e coragem para ir limpá-lo.

.lembranças.

Publicado: 29 de julho de 2010 em Uncategorized

.lembrar de coisas ruins pode não ser tão ruim assim. lembranças de momentos que não lhe trouxeram felicidade, podem fazer você buscá-la. lembranças de momentos tristes às vezes podem lhe fazer agradecer à deus, porque, afinal, passou e você sobreviveu. aquilo te fortaleceu. acabou.

.momentos ruins podem lhe trazer a vantagem da experiência. hoje eu lembrei de momentos tristes e nem me entristeci. só lembrei, como se fizesse parte de um passado quem nem era meu.  como se fosse uma história que me contaram ou que eu vi na televisão.

.momentos ruins passam. cicatrizes não passam, mas amenizam. se a gente trata do machucado direitinho, ele sara e a gente se dana de novo na vida. a gente perdoa pessoas, porque, o tempo e a experiência lhe mostram que elas não são perfeitas e que você tem de aprender a aceitá-las e ter uma lente de aumento para as qualidades, que podem ser infinitas; não renegar o que foi bom: as brincadeiras da infância, os carinhos e as canções; as promessas, as preocupações.

.se no final desse texto, uma lágrima rola pelo teclado, não é por tristeza, mas sim pela certeza de que ainda dá tempo, sempre dá tempo de consertar certas coisas…

.é destino.

Publicado: 28 de julho de 2010 em Uncategorized

.muitos atribuem ações e acontecimentos de suas vidas ao destino. tudo é sempre culpa do destino. não tem explicação? destino, ora bolas. se é destino ou não, de quê importa? se foi conjunção estelar, e daí? aconteceu. é fato. não há como evitar. é tarde. inês é morta e só temos de aceitar as incumbências desde grande mago. mordi a maçã. eita destino danado!

.por que será que eu comi maçã hoje? será que foi só por que eu gosto de maçã? por que mamãe comprou maçã e tinha maçã na geladeira? porque o seu leonardo do mercado tinha trazido maçãs fresquinhas e mamãe lembrou de mim? por que ninguém mais comeu as maçãs da geladeira e porque eu estava com fome? era destino. eu estava presdestinada a comer maçãs hoje.

.e se ontem eu nem imaginava que aconteceria. se eu estava desiludida e nem sabia o que me aguardava. se eu pensava que seria de um jeito e o destino me empurrou para outros rumos, quem sou eu pra reclamar? o destino brinca, assim como o tempo. tiram onda com a cara de pobres mortais como eu, que fico brincando de tentar decifrar os meandros da vida.

.às vezes o destino prega peças de mal gosto. e como sei… mas, ao mesmo tempo em que ele nos deixa a felicidade escondida, pode trazer um pedaço dela, como se fosse uma fatia de bolo de avó. aquele que eu nunca provei, por não ter tido avó. mas, quem sabe, com uma receita, num caderno de família escondido nas gavetas das lembranças, alguém encontra a receita do bolo, e eu tenha o direito a minha fatia. o destino pode brincar com fogo, mas também com pétalas de flor, como se fossem as borboletas dançando ao vento.

.o verde vira cor preferida. o tutti-frutti o sabor melhor que existe. o abraço um instante no céu, e um beijo, o paraíso. destino? não sei. pessoas certas, lugares errados. coisa se conjunção estelar. era pra ser, mesmo se não for.

.juízo pra quê?

Publicado: 27 de julho de 2010 em Uncategorized

.mamãe bem que me avisou
disse para eu ter mais juízo
mas quem foi que nunca “errou”
por um simples sorriso?

juízo eu nunca tive
nem encontrei motivos para achar
dê-me pelos menos um
e quem sabe eu não vá procurar

vida com juízo perde a emoção
exagero e drama fazem parte do meu show
não finjo nem seguro meu coração
se o perigo chamar eu vou.

aqui foram uns versos bregas
porque de poetisa não tenho nada
coisas de um projeto de jornalista
e de uma escritora frustrada.

.ps.: deivide… vc sim é um poeta, por isso é meu muso…

.acordou meio avariada. mais que de costume, o distraimento e a lezeira atingiram-na de uma forma implacável. abriu os olhos às 6, mas seus pés só tiveram coragem para pisar fora da cama meia hora depois. nem mesmo no sábado, essa mente fervilhante a deixava dormir. bem, vamos lá. o mundo me espera (perigo).

.preguiça de fazer exercícios físicos. estudar que é bom? nada. deveria estar fazendo algo produtivo depois do café da manhã. o período matutino passaria veloz e despercebido, não fosse o breve e intenso episódio da cozinha.

.hm…vamos fazer o almoço hoje? algo de produtivo tinha que sair dali. a mãe fica desconfiada. cozinha…sei não. mas eu cozinho bem, ora bolas. vamos lá. menu de hoje: arroz carreteiro. é, tem um livro de receitas gaúchas. hm… isso me parece bom.

.o charque dessalgado; o arroz lavado; a cebola e o olho picados; azeite na panela; cheir0-verde.  não tinha como errar. primeiro: refogar a cebola e o alho com azeite, depois junta o charque cortado em cubos. mistura-se, pois o arroz, cobre-se de água (2 dedos acima), e pronto. fecha a panela de pressão. tudo pronto, era só coloar o cheir-verde picadinho por cima.

.e quem disse que seria tudo assim tão fácil e sem emoção? antes de pôr a água na panela, ela deveria estar fervendo. vamos então pôr a água para ferver na chaleira. pronto. vou ali e volto já. vai demorar a ferver.

.fun… cheiro de chifre queimado é esse? hm…o fogão estava pegando fogo. ela, na sua estranha calma em momentos não propícios, fez como se tudo aquilo fosse normal. a mãe, desesperada: joga logo água nissooooo! a casa vai pegar fogo! povo exagerado!

.hm…o problema foi que ligou a boca do fogão errada, ou seja, não a da chaleira, mas sim aquela sobre a qual repousava a tampa da panela de pressão. era da borracha que vinha o cheiro de chifre queimado. era uma vez uma panela de pressão.

.no fim, após alguns carões da mãe, sai tudo bem. ninguém poderia dizer que o arroz de carreteiro não tinha ficado uma delícia. só a marca no fogão que não saiu nem a pau. nada é perfeito, inclusive eu, que fui a protagonista dessa história. ¬¬

.coquetel pra vida.

Publicado: 22 de julho de 2010 em Uncategorized

.se você tem dificuldades de suportar a vida do jeito que ela é existem algumas maneiras rápidas e eficazes de burlar o seu curso habitual. se você não tem sangue de barata nem estômago de ferro como eu, algumas dicas de sobrevivência são essenciais. basicamente inclui um coquetel bem diversificado. hipocondríacos de plantão, aqui vamos nós!

.é bem comum que tudo de ruim comece com uma paixonite aguda. se você está sentindo borboletas no estômago, tome buscopam composto. alivia qualquer problema estomacal. e se você quase morreu do coração ao vê-lo com a sua melhor amiga, é aí que entra o maleato de enalapril. os miligramas, vai depender de há quantas anda seu velho coração apaixonado.

.se depois disso tudo, o mundo parece inabitável e você só quer ficar prostrado na cama. a deprê te pegou de vez. o mundo acabou e a única saída parece ser a morte, é aí que chega a hora de a sertra agir. 50mg pros principiantes. os amantes da sertra garantem que, se pelo menos ela não te deixar feliz, vai te deixar inerte. mas cuidado. sua libido poderá ser reduzida. que tal um viagra ou provestra (se você for mulher)?

.você superou a depressão e chegou a um ritmo agitado de vida. bateu uma ansiedade e você não pára de atacar a geladeira? vamos ao ansiolítico alprazolam. é tiro e queda. você vai ficar abestadozim!  só que dá um sono… ah, e nada de misturar a sertra o a alprazolam com álcool, hein? para o bem da sociedade.

.por falar em álcool, se você saiu e exagerou na bebida. seu figádo está sofrendo? almeprazol nele! hm…mas o enjôo não passa? dramin. dor de cabeça também? neusa. a neusa se garante.

.mas se você ficou fora do peso e tá afim de arranjar um caso novo. tá afim de ficar em forma, foi pra academia, se empolgou e ficou dolorido até os fios de cabelo… dorflex, que paracetamol é para os fracos.

.mas se você viajou e pegou uma gripe daquelas, o caso é fazer um kit específico: paracetamol (febre e dor de cabeça), tetraciclina (em caso de inflamação na garganta), dipirona,  descongestionante nasal (sorini serve), um ácido ascórbico (a velha vitamina C) e um xaropezinho (naldecon de morangoooooo! dilícia!). mas você pode susbtituir tudo isso por trimedal. esse aí é poderoso.

.ah, mas se o seu problema é raiva, vontade de matar um, não tem jeito. poderia até indicar novocaína para adormecer até a alma, mas melhor não tomar nada, que guardar raiva dá câncer. e pra câncer, é mais difícil dar jeito. melhor não reprimir.

. se as dicas não serviram de nada, se enterra, porque já tá é morto. mas, se você não pode tomar nenhuma substância citada acima, se enterra também, é melhor.

.eles.

Publicado: 21 de julho de 2010 em Uncategorized

.o tema a ser debatido hoje… debatido não. imposto. porque quem manda aqui sou eu. o tema será… vou deixar no suspense pra vocês lerem até o final. ah! eu nunca disse que meus métodos eram politicamente corretos.

.bem, irei discorrer sobre alguns pontos importantes; que considero relevantes para o meu aprendizado (tsc tsc) de vida. talvez eu tenha sido reprovada em alguns aspectos, mas quem é reprovado, sempre tem a experiência do erro (ou não). deixemos de conversa fiada então. aqui vão mais alguns itens que aprendi sobre os homens:

1. homem é tudo igual, por mais que pareçam, de início, diferentes. só muda a aparência. no fim, eles sempre vão fazer a coisa errada.

2. os mais santos, são os piores. se ele diz que não bebe, não sai de casa, ou seja, é o genro que mamãe pediu a deus, ou ele está mentindo, ou é gay, ou tem algum problema mental.

3. se ele concordar com tudo o que você diz. se fala que gosta de tudo o que você gosta, pode acreditar que é mentira. ele só quer que você entre na dele. se você não entrar, logo ele parte para outra e você descobre que ele é totalmente diferente do que dizia ser.

4. se ele demora a querer te encontrar; se ele se comporta como seu amigo e não como seu pretendente a namorado; se ele simplesmente não dá pelo menos uma indiretazinha, ou ele é gay, ou é traumatizado. então esquece e parte pra outra.

5. se do nada ele desapareceu, logo na hora em que você se empolgou e pensou em entrar de cabeça pro relacionamento dá certo, parte para outra também, pois desse mato não sai cachorro.

6. se eles correm atrás de você, você pega abuso e não está nem ai pra eles. e quanto mais você não quer, mais eles insistem. mas, se você está afim, eles te fazem de besta, ou seja, homem gosta de mulher ruim.

7. além de ruim, homem gosta de mulher poderosa e decidida. no entanto, alguns espécimes gostam das com cara de meninas bobinhas e desprotegidas. mas só pra eles fazerem de besta, mais uma vez, pois as que deixam eles de quatro mesmo, são as que impõem seus gostos e se fazem obedecer.

8. cuidado com os filhinhos de mamãe, pois mais tarde eles vão querer que você seja mãe deles também.

9. cuidado com os cabeludos, os motoqueiros, os músicos e os baixinhos. esses três são categorias das mais perigosas. os grandões geralmente são meio bobões. prefira estatura mediana.

10. caia fora se ele diz que está apaixonado e não consegue mais viver sem você com menos de uma senama. ou ele quer te fazer de besta ou é um psicopata.

11. não apresente ninguém as suas mães antes que vocÊ tenha certeza que vai durar pelo menos uns 2 meses e que ela vai pelo menos achá-lo namorável. isso evita aquele cruel: eu falei que ele não prestava, mas você não me escutou…

12. nunca tente mudar o jeito de ser, se vestir ou se pentear do cara. ele sempre vai fazer o contrário.

13. ah, e nunca mude o seu jeito de ser nem a sua rotina por eles. não vale a pena. nem dê satisfações de sua vida, a não ser que ele peça. pois ele dão dará satisfações da vida dele para você, e você morrerá de tensão e ansiedade imaginando o que ele está fazendo. colegas, isso não faz bem para a cutis.

14. os homens sempre te farão de besta em algum momento, a não ser que você faça eles de besta antes.

15. seja amiga dos amigos dele. você não só saberá se ele estiver traindo você como ficará por dentro de todos os podres que ele faz ou fez. no entanto, faça tudo muito discretamente.

16.  se ele te fez chorar, mande ele pastar.

17. se ele não te mandou nem mesmo uma mensagem no dia dos namorados, mande ele pastar também.

18. se ele prefere te deixar sair sozinha porque sempre está cansado. HEHEHE. é hora de dar tchau.

19. se ele te manda músicas apaixonadas, poesias e afins, pode anotar: ele já usou as mesmas com outras. se não estiver usando ao mesmo tempo. a que cair na rede, é peixe!

20. por fim, se não tem jeito, continue se divertindo com os errados. não é obrigado você casar com ninguém.

.aqui ficam as dicas, porque o negócio tá tão feio que ontem eu cheguei até a sonhar que eu virava lésbica! graças a deus eu não gosto da fruta e foi só um sonho…

.um metro e trinta e seis.

Publicado: 20 de julho de 2010 em Uncategorized

.olhei para a mãozinha dela e me bateu um sentimento de nostalgia. deu-me saudade de quando as minhas mãos eram também pequeninas e rechonchudas; quando não havia tantas preocupações e angústias; quando as responsabilidades de ser adulto eram  algo bem distante.

.lembrei de como eram bons os tempos em que ter dobrinhas no corpo eram sinal de beleza; nos quais comer montes de chocolate não era nenhum pecado mortal contra a moral e os bons costumes do corpo perfeito. ser criança naquela época era feliz.

.como era bom poder brincar de pega-pega na rua sem se preocupar com o que você seria quando crescesse! nessa época eu nem imaginava o que era vestibular.  minha única ambição infantil era a de ter um gatinho de estimação. nada que um choro não desse conta. como era fácil atingir nossos objetivos naqueles tempos!

.nesses poucos anos de minha vida, o que de pior podia acontecer era levar alguns carões da minha mãe. como eu queria ter tempo para pintar! minha coordenação motora melhorou com o tempo. pena que agora o que falta são horas para praticar.

.lembrei com saudades do tempo em que os meninos eram seres desprezíveis e quando a melhor brincadeira do mundo era bater neles. pelo menos não ficaríamos tristes se morrêssemos solteiras. mas lá se foram eva e adão e morderam o fruto proibido…

.que saudades de quando eu tinha cachos nas pontas dos cabelos e usava fivelas tic-tac sem parecer idiota. saudade de quando meu pezinho 27 gostava de pisar na areia da praia. saudade de ter 1,36 m. saudade de quando eu podia sentar no colo da mamãe sem deixá-la com as pernas doloridas. saudades de quando eu não tinha tpm nem me sentia inchada todo mês. saudade de ser essa menina que às vezes me visita e sempre me deixa falando sozinha…

.novocaína para a alma.

Publicado: 14 de julho de 2010 em Uncategorized

.converso com ela como se já a conhecesse há muitos anos, mas no fundo, é uma estranha. faz parte de mim e eu nem sei quem é essa mulher no espelho do meu banheiro. ela olha para mim fixamente, como que procurando resposta para uma pergunta eterna.

.olho no olho. espremo um cravo perto da boca. boca seca de noite mal dormida. um pêlo. preciso tirar a sobrancelha. lavar o cabelo também. céus, estou um trapo! eu sou um trapo. a ragg doll. e eu tenho sido uma very, very bad girl. é uma pena, mas é fim de linha. não há mais salvação.

.por que está me olhando desse jeito? com essa cara de quem comeu e não gostou? por que esses olhos inchados? chorou ontem à noite? esperou até de madrugada que ele viesse e não veio? sim. você chorou. sua fraca. você mereceu, então.vamos lavar essa cara de cera. pintar uma máscara nova. anestésico. dê-me novocaína. eu quero paralizar.

.pintei as pálpebras de preto. os lábios cor de sangue, para entrar  no drama. eu não disse que eu era uma dramática exagerada? pois então fique sabendo. salto alto. vesti minha armadura. estava pronta para a guerra. agora era só eu e a mulher do espelho.

.e quem me visse daquele jeito, diria que eu era uma mulher destemida. assassina de mentes alheias;  que era uma mulher de sucesso. mas eu sou. agora eu sou. eu matei a menina. era uma assassina no espelho.

.vamos para a rua. agora somos apenas nós aterrorizando a cidade; fingindo ser gente normal. o anestésico invandiu a corrente sanguínea. meu coração virou pedra. não sinto mais nada. mascarei minha dor. mascarei minha verdade. somos duas marcaradas na frente do espelho. não me reconheço em você, mas podemos ser capa de um disco. você está muito bem. vamos quebrar corações agora. duas fingidas que precisam urgentemente fazer as unhas.

.não quero me aproximar de ninguém. não quero tocar. apenas vamos andar entre as pessoas; enxergar através delas. não quero que me vejam. ninguém tem nada com a minha vida. não quero críticas, mas também dispenso elogios. considero-os fora de hora e sem sentido. não quero ser elogiada. gosto do não e vou dizer não para você; para vocês, quem quer que sejam.não. não estou bêbada, estou anestesiada. eu não sinto. sinto apenas essa dor de dente desgraçada que me faz lembrar que preciso fazer uma visita ao dentista.

.minha pior inimiga.

Publicado: 9 de julho de 2010 em Uncategorized

.depois de uma overdose de escrita; depois de textos e mais textos, fictícios ou não, parei. parei não. dei um tempo. a fonte esgotou? não sei. não sei. é que durantes esses dias, minha mente era um turbilhão. os pensamentos, desconexos, não conseguiam seguir uma linha fixa de pensamento. eu parei de escrever.

.durante esse tempo, eu travei uma luta com a minha pior inimiga. eu declarei guerra a mim mesma. todos os dias, todas as horas, todos os minutos são pequenas batalhas as quais ainda não consegui vencer. é uma luta solitária, da qual não posso fugir. ou perco de vez, ou ganho, na raça. eu vou até o fim.

.todos os dias quando me levanto eu renovo minhas promessas; preparo-me para uma nova luta. há dias em que eu começo vencendo a batalha, mas até agora, eu perdi todas elas. e, quando eu vou dormir, derrotada, choro, mas não perco a esperança e a fé em mim.  perder sempre dói; perder sempre machuca; perder sempre mata um pouquinho a cada dia. mas eu cansei de perder sempre. eu quero viver e só.