Arquivo de dezembro, 2009

.gostos estranhos.

Publicado: 30 de dezembro de 2009 em Uncategorized

.em mais um dia de árduo trabalho provo das mais deliciosas emoções. adoro essa minha atividade de projeto de jornalista. todo dia é dia de emoções. a gente pode ter uma apresentação se tango privê, consultas astrológicas e massagens terapêuticas sem pagar nadinha.
.esta manhã eu estava com a moral um pouco derrubada. meu Mp4 tocando umas músicas derrota. “para ai”, pensei. “é hora de Jacko!” e lá fui eu escutar o rei do POP. é incrível como não consigo ficar triste ao escutá-lo. entrei na redação toda serelepe ao som de Smooth Criminal. Anne are you ok? are you ok, anne? (rs). só felicidade! deu aquela vontade quase incontrolável de dançar no meio do povo (rs). pensei em como seria cômica a cena. eu dançando Mj no meio daquela seriedade e concentração matinal. não consegui conter um sorriso non sense. Ai que inveja! um dia eu ainda danço que nem o Michael.
.é engraçado. escutei e vi Michael durante todo o fim de semana passado. nem parece que ele passou dessa pra melhor. não sei. ele era meio estranho (= feio + bizarro), mas tinha um coisa…sei não. vai explicar esse meu gosto por homens que dançam…(rs). meu gosto que é mesmo estranho. cabeludos, dançarinhos, cozinheiros, motoqueiros… isso é tudo muito sexy.

ps.: já pensou alguém chegar cantando the way you make me feel? acaba comigo… principalmente se fosse o johnny depp

.eu queria sorvete.

Publicado: 24 de dezembro de 2009 em Uncategorized

.assim como muitas pessoas, tenho o costume de abrir a geladeira pra pensar. com a porta escancarada, fico olhando sem propósito para os alimentos, sem ter idéia do que vim fazer ali. começo então a pensar na morte da bezerra. aí, como já estou por lá mesmo, investigo o que tem de bom. o pior é quando mamy ainda não fez as compras e a geladeira está igual a um côco verde: só tem água dentro.

.resolvo então abrir o refrigerador. meus olhos brilham. um pote de sorvete. será de flocos? não importa. é sorvete. abro num ímpeto de gula. droga! mais uma decepção. por que será que as mães têm essa mania de colocar o feijão que sobra nos potes de sorvete vazios do congelador? é. eu queria sorvete, mas era feijão.

.assim é com as pessoas. a gente jura que é sorvete e, principalmente quando a gente tá doido por um e a embalagem tá lá te chamando, você logo descobre o feijão dentro. olha que o mundo tá cheinho assim de pessoas “sorvete de feijão”. ainda bem que a gente pode abrir a tampa antes, né não? mas nada paga a frustração de eu ter ido dormir sem meu sorvete…

ps.: e meu blog era de uma pessoa tão séria…

.qualquer tango argentino.

Publicado: 20 de dezembro de 2009 em Uncategorized

.a perna dela enlaçou a dele em um movimento rápido. apesar da brevidade do instante, ele sentiu o calor que fez estremecer o corpo inteiro. não poderia errar nenhum passo, havia pessoas ao redor. tentou se concentrar novamente enquanto a erguia no alto. ela parecia uma pluma de tão leve e graciosa.

. ela segurava em seu braço com força. por vezes apoiava o rosto em seu ombro. sentia seu cheiro cada vez mais perto e parecia inebriado de desejo. levantaram ambos a cabeça e os olhos se encontraram. miravam-se e fogo brotava de seus olhares. ela desviava. encostaram as maçãs do rosto. opostas, pareciam queimar.

.apertou o corpo dela contra o peito, girou-a e desceram juntos num lance que exigia inexplicável elascitidade corporal. aplausos eufóricos. mas ela não sorria. de la boca roja, ninguna sonrisa. já o coração disparava em pura adrenalina.

.ele não conseguia parar de olhar para o decote generoso do vestido negro que deixava a mostra as pernas esculpidas às mãos de deus. o constraste da cor ressaltava a brancura da pele. novamente os olhos artisticamente maquilados o olhavam audaciosos. o cabelo preso com um coque no alto da cabeça levava uma rosa vermelha que a deixava ainda mais provocante.

.passou a mão no rosto dele. com os lábios próximos, sentiu o hálito de flor selvagem. o último passo exaustivamente ensaiado. com as pernas dela flexionadas em uma espécie de gancho, ele a levantou. não viu mais nada. no fim, estavam no chão. o cabelo dela em desalinho. ainda mais bela, ela olhava-o com o a chama  do ódio. a platéia calou-se. ela se levantou, e, em passos fortes deixou o salão, dando as costas a seu par. ainda no chão, ele sentia a ponta do tacón alto perfurando seu peito sem piedade.

.cheirando a café.

Publicado: 15 de dezembro de 2009 em Uncategorized

.sabe aquela música do Jeff Buckley sobre pele lilás e cheirando a café? poisé…ontem fiquei literalmente cheirando a café.

.cheguei na redação do jornal alegre e contente apesar da minha habitual cara de moça séria e ajuizada. Não nego que meu vício em cafeína não me deixou por muito tempo lá. após a descoberta do ouro negro em quantidades assustadoramente grandes, não pude me conter. Tive que buscar pelo menos uma dose diária entre o intervalo da labuta.

.ao sair da cantina com meu copinho de plástico (nada politicamente correto) cheio e na mior felicidade, subo as escadas com cautela para que não aconteça nenhum acidente com meu precioso e quente tesouro líquido.

.chego à redação, porém, ao dar de cara com “algo” que me paralisa, (acho que isso não está me fazendo bem), fico tensa. outro obstáculo a ser superado. sento em minha estimada cadeira de rodinhas. tão confortável que me deixa numa posição em um tanto quanto “largada” e favorece o aumento do meu “avoamento” natural. cheiro meu cafezinho meio amargo e não dou mais que duas inocentes bebericadas. sou traída pelo meu habitual comportamento mazela e desastrado. o pequeno copo tomba na mesa derramando o precioso líquido. parte na mesa, parte no chão e grande parte em cima da minha blusa e tênis branquinhos.

.é. fiquei suja e sem minha bomba de cafeína. quer frustração maior? pelo menos tive o consolo de não ter caído nada sobre o computador. além do mais, fiquei cheirando a café…e ficar cheirando constantemente a café pode ser um consolo, porém, posso garantir: só aumenta a vontade!

.pacto.

Publicado: 13 de dezembro de 2009 em Uncategorized

.hoje decidi muitas coisas. levar a vida menos a sério é uma delas. fazer o que gosto e arriscar novos empreendimentos. me espalhar por ai sem vergonha nem medo de mim. como diria o grande frontman: I don´t worry about nothing no, ‘cause worrying is a wast of my fucking time!

.auto-suficiência.

Publicado: 11 de dezembro de 2009 em Uncategorized

aki procês ó!.sempre quis ser independente. continuo achando que a liberdade é o bem mais precioso de um ser humano. e liberdade envolve muitas outras questões. ser livre é ter direito ao conhecimento com o qual podemos fazer nossas escolhas. ter liberdade é também amar sem cobranças, sem egoísmo. liberdade poder comer o que se gosta. é poder deixar a bangunça ordenada do seu quarto do jeito que você deixou. é poder colocar a roupa que quiser sem precisar pensar se a acasião é adequada ou se as pessoas vão achar legal. ter liberdade é poder ser você e não precisar fingir. é poder decidir assistir a um filme agora e não precisar mendigar a companhia de ninguém. é poder ter seus próprios sonhos e não precisar da companhia de ninguém para realizá-los ou não deixar que ninguém te impeça de fazer isso. hoje…mais do que nunca, e por mais que isso me deixe contrariada, tenho que concordar com meu pai. uma frase simples e até idiota, mas bem simbólica: “porque eu nasci foi só mesmo”…

.é. essa é uma verdade que a gente não quer, mas tem que aprender se quiser sobreviver nesse mundão de meu deus. você ..no fim…sempre estará só. o que temos que fazer é aprender a gostar da nossa própria companhia e fazer com que isso nos baste, porque, quando menos esperarmos, olharemos para o lado, e só veremos a nós mesmos no reflexo de nossa alma. nossa, isso foi mesmo profundo!.(rs). aiai. sei que na vida, temos que nos preocupar apenas com o nosso destino, e tentar sempre fazer o que nos deixa feliz, porém, sem ser leviano com o sentimento dos outros. também, não deixemos que sejam com os nossos. estejamos sempre prontos para revidar da vida. ela quase sempre merece. pode até parecer pessimismo ou até despeito meu. talvez seja. e daí. xingar o mundo pode fazer muito bem pra saúde. a gente sempre tenta e finje ter auto-suficiência.

.quem diria.

Publicado: 4 de dezembro de 2009 em Uncategorized

.quem diria que o ano seria assim tão cheio de reviralvoltas? derrotas e conquistas? acertos e erros? ah…pelo menos posso dizer que vivi intensamente esse ano…fico feliz por isso. verdade. estou feliz. sozinha e feliz. isso é ótimo. ser feliz só é quando sua propria companhia lhe basta. é bom ter um tempo só pra si. tudo bem que estou precisando cuidar melhor da minha saúde. logo previ que essa correria toda me deixaria doente em algum momento, porém, não me queixo. é bom se sentir útil. uma viagem para fechar o ano com chave de ouro. perfeito. tudo as mil maravilhas na faculdade. fantasmas que se foram. feridas que cicatrizaram. alívio enfim. adoro ser uma pessoa ocupada! uia, to ficando importante benhê… e nem to sentindo falta de sair. tenho muitos planos. eles incluem escrever, ler meus livros pendentes, assistir os filmes que não tive tempo, viajar mais, quem sabe.. dessa vez a passeio, obviamente. engraçado…meu humor tá tão bom ultimamente..o ano acabando…conheci tanta gente. me distanciaei de tanta gente…pulei em tanto galho, cai de tantos…enfim…sobrevivi  e pronta pra outra beibe. minha biografia terá o que contar!