Arquivo de outubro, 2009

.back.

Publicado: 25 de outubro de 2009 em Uncategorized

menina.só hoje me toquei de quanto tempo faz que não passo por aqui. que displicência a minha! é. mas preciso de um desconto, afinal sou uma avoada aquariana. bem, o que importa é que estou de volta em todos os sentidos. ponto final em questões antigas. nova etapa da vida. e foco no profissional! (rs). sei que esse ano foi uma vida inteira, e olha que ainda faltam 2 meses para terminar. na verdade ele me deixou exausta. tantas emoções. boas, ruins e ainda tem um monte pela frente, porém, fui tocada por uma enorme e atípica tranquilidade. não cobro da vida e ela não cobra de mim. perfeito, não? ah…só quero perceber mais o mundo. vou olhar as pessoas. são bichos bem interessantes.

.livre dos cabelos.

Publicado: 18 de outubro de 2009 em Uncategorized

como_esquecer_a_dor.cortei os cabelos. ou, se preferirem os ingleses: tive meu cabelo cortado. curto agora. senti uma mistura de alívio e pena. como se os cabelos, junto com eles, levassem alguns pedaços de lembranças. numa tentiva de arrancá-las da memória recente. sinto falta delas, mas, assim, como o cabelo, crescerão outras. melhores ou piores, mas crescerão. quero tanto viver. mas meu coração tem medo agora. está meio cabreiro como bicho do mato. meio de luto. quer ficar sozinho. precisa expulsar pessoas, lembranças, memórias. só assim, quem sabe, se ele se curar, poderá abrir a porta pra outro estranho entrar.

.encontrei hoje no baú de lembranças famíliares, tesouros muito preciosos. vinis. musica clássica, chico, maria betânia, milton nascimento, cartola, dorival, elis regina, tango, musica francesa. meu coração sentiu vontade de dançar. está tudo tão sereno. agora não quero mais pensar em nada. só tomar um bom café com chocolate.

.amnésia.

Publicado: 15 de outubro de 2009 em Uncategorized

.hoje eu queria não lembrar de nada. esquecer que tenho mil coisas me esperando para fazer. esquecer o mundo que acontece lá fora. esquecer lembranças e, principalmente pessoas. ah, hoje eu queria sofrer de uma incurável amnésia. só por hoje queria deixar de ser esquecida e esquecer. só porque hoje as lembranças doem, as pessoas magoam e o mundo é feio. hoje eu queria esquecer até de mim. esquecer quem sou, de onde venho. hoje não quero espaço reservado para mais nada que esteja no passado. quero que um vírus detele meu HD cerebral. vou apertar F5 pra atualizar a página da minha vida. voltar não. continuar nessa, nem pensar. hoje o usuário não está disponível. fora do ar. mas amanhã…ah, amanhã sempre promete.

.novos rumos.

Publicado: 13 de outubro de 2009 em Uncategorized
Marion pour moi même

Marion pour moi même

.a vida pode mesmo mudar em um instante. por enquanto, espero novos rumos. às vezes é bom que tudo se transforme, principalmente quando não estava mais funcionando bem. assim, vou tentando ajudar a vida a seguir outro caminho. coragem, a gente busca onde der. fácil não é, mas a gente tenta. os amigos estão aí pra apoiar, os inimigos pra te incentivar a não dar o braço a torçer, numa vingançinha saudável. viver é uma tarefa complicada. doce e amarga, porém sempre gostosa. assim, vou tomando gosto por ela. conhecendo as pessoas. parando para escutá-las e para observar o mundo. voltei a desenhar. deve ser um bom sinal. amanhã é dia d em todos os sentidos. fica a dica! (rs)

.indecisa.

Publicado: 12 de outubro de 2009 em Uncategorized

.como pode a mente de um ser humano ser assim tão confusa e complicada? sei não. se soubesse, estava torrando meu dinheiro por aí, baby. cansei de tentar entender o emaranhado do cérebro humano, principalmente do meu. tenho sérios conflitos com meu outro eu. portanto, prefiro não perturbá-lo por enquanto. vivamos pacificamente. pelo menos até o desenrrolar dos próximos capítulos. a loucura anda meio adormecida por esses dias. tirou o feriado para descançar. confesso que sinto falta dela. ela me dá mais coragem de cometer sandices. de não calar. de ser indecentemente sincera. ah, saudade da loucura. tu me manques beaucoup! não estou afim de ter dúvidas. hoje eu queria ser decidida. mas é tão difícil para alguém que passa horas para escolher um inocente filme na locadora. daqui a 5 minutos eu mudo de idéia. que triste para a minha pessoa. triste nada. amanhã eu decido. ou não. sei lá. ah, vo escutar música que hoje não tá bom pra pensar muito e eu tenho um mundo a explorar!

.o mundo conspira.

Publicado: 11 de outubro de 2009 em Uncategorized

.enfim, ao meu favor.

.avalie o que é importante e livre-se do que já não serve mais (fica a dica hein!?). uma nova fase pode se iniciar em sua vida: só depende de você! (adorei!) passeio, encontro ou nova aventura promete satisfação (se melhorar estraga!). tire um tempo para meditar. você precisa confiar um pouco mais e o astral está muito bom para isso.

.olhái..esses dias prometem. o negócio é não cair em tentação. amém

.moi et moi même.

Publicado: 10 de outubro de 2009 em Uncategorized

cafe12.sábado. coisa boa é decidir não fazer nada que esteja preestabelecido em sua agenda! fazer compras no centro da querida e escaldante fortaleza (mouth of hell). caminhar pelas ruas sem ter hora pra chegar. sair sozinha. pegar o ônibus cheio de desconhecidos. no caminho pensar na própria vida sem ninguém fazer a enfadante pergunta: tá pensando em quê? andar em pleno shopping escutando seu mp4 (voltei a escutar o bom e velho rock n roll) na maior altura e nem confiança para os olhos que te olham com aquela cara de elatásurdaporacaso? usar blusa com estampa de zebra, o velho all star beje/branco, jeans, bocão vermelho e o óculos mais perua que já se viu, assim com a maior cara de quem está vestida de menina comportada. isso, só eu mesma. comer chocolate meio amargo com café. preto e forte. hum. delícia (amanhã eu começo a dieta). entrar na livraria e passear durante horas pelos livros e sair com um chamado “Doce Vingança, os prazeres perversos da desforra” é muito eu mesmo. gente. tô de volta. sou eu de novo. fiz as pazes comigo mesma, porém, como não poderia deixar de ser…dividimos a cama com a loucura. senão..não tem graça. sem preocupações, prefiro não pensar no amanhã..não faço planos a longo prazo.

.quase “normal”.

Publicado: 9 de outubro de 2009 em Uncategorized

.estou quase voltando ao “normal” (se isso realmente for possível). depois de uma revelação final que realmente cortou o mal pela raiz (assim espero), volto a ser eu. não que eu seje lá muito normal, mas minha bipolaridade, ah, essa não se chamava TPM, se chamava outra coisa. hoje estou com minha personalidade quase estável de volta. nada como os amigos certos nas horas certas pra te fazerem enxergar o mundo de novo. pra te puxar as orelhas sem te julgar. assim vou recuperando minha concentração, minha pouca paciência e meu bom e velho humor de garota que não teve infância (rs). recupero também parte do juízo, porque todo ele não tem graça. o bom mesmo é sempre fingir que a gente tá procurando a parte que falta. porque..queridos..se vocês me arrumarem um motivo, unzinho só, eu acho meu juízo bem façinho. enquanto isso, eu vou exercendo a minha falta de sanidade mental, afinal, tá chegando o fim-de-semana e ainda por cima com feriado. a pedidos… lá vai um pouco da minha cantoria íntima de banheiro!

alwaaaaayss!

.droga! não resisti! tinha que por essa música…(rs)…o último resquício de meu passado recente e condenante.

.mudar.

Publicado: 8 de outubro de 2009 em Uncategorized

l[1].mudar é difícil. toda mudança exige esforço. não é nada fácil sair do comodismo e de uma situação preestabelecida. mas às vezes cansa. mudanças levam tempo, porém, são necessárias, e uma hora têm de acontecer. decidir mudar é fácil, mas a ação de transformar as coisas é demasiadamente difícil. aos poucos ela é possível, basta perseverar. como eu nunca fui de desistir fácil, principalmente quando o tombo é grande, entro agora em fase de mudanças. rumos novos. desconhecidos. melhor ainda, porque conhecer o futuro não tem a menor graça. o tesão de viver está em não poder esperar nada da vida. se na altura do campeonato já estou por aqui, saí no lucro não acham? hoje voltei a usar meus velhos e infalíveis batom e esmalte vermelhos. agora eu sou eu de novo. e pronta pra outra, óbvio.

 

se eu visse ontem qualquer sorriso teu

choraria de emoção.

hoje ouço tua voz no telefone

meu coração palpita, não nego.

mas o alívio de te ter longe me deixa feliz.

agora posso ser eu de novo.

terei tempo pra mim com meus pés no chão.

não que eu deixe de sonhar.

isso jamais.

mas hoje sonho um sonho sozinha.

a minha companhia me basta.

se no fim te encontrar ao meu lado

não será mais que uma recompensa

que a vida me havia reservado.

 

 

“descubro com melancolia que meu egoísmo não é tão grande assim, pois dei ao outro o poder de me magoar.” (Saint-Exupéry)

.lembranças.

Publicado: 6 de outubro de 2009 em Uncategorized

.tem umas lembranças que conseguem nos arrancar um sorriso bobo. ao mesmo tempo, elas apertam o coração da gente. lembranças de conversas descompromissadas e “má intencionadas” no MSN, de risadas e conversas sem tempo pra terminar. nostalgia de um tempo que passou e que não volta mais. ou talvez das coisas que mudaram e não se sabe que rumos vão tomar…

PARA UMA MENINA COMO UMA FLOR

Porque você é uma menina como uma flor e tem uma voz que não sai, eu lhe prometo amor eterno, salvo se você bater pino, o que, aliás, você não vai nunca porque você acorda tarde, tem um ar recuado e gosta de brigadeiro: quero dizer, o doce feito com leite condensado.

E porque você é uma menina com uma flor e chorou na estação de Roma porque nosasas malas seguiram
sozinhas para Paris e você ficou morrendo de pena delas partindo assim no meio de todas aquelas malas
estrangeiras. E porque você sonha que eu estou passando você para trás, transfere sua d.d.c. para o meu
cotidiano, e implica comigo o dia inteiro como se eu tivesse culpa de você ser assim tão subliminar. E porque quando você começou a gostar de mim procurava saber por todos os modos com que camisa esporte eu ia sair
para fazer mimetismo de amor, se vestindo parecido. E porque você tem um rosto que está sempre um nicho, mesmo quando põe o cabelo para cima, parecendo uma santa moderna, e anda lento, e fala em 33 rotações mas sem ficar chata. E porque você é uma menina com uma flor, eu lhe predigo muitos anos de felicidade, pelo menos até eu ficar velho: mas só quando eu der uma paradinha marota para olhar para trás, aí você pode se mandar, eu compreendo.

E porque você é uma menina com uma flor e tem um andar de pajem medieval; e porque você quando canta nem um mosquito ouve a sua voz, e você desafina lindo e logo conserta, e às vezes acorda no meio da noite e fica cantando feito uma maluca. E porque você tem um ursinho chamado Nounouse e fala mal de mim para ele, e ele escuta e não concorda porque ele é muito meu chapa, e quando você se sente perdida e sozinha no mundo você
se deita agarrada com ele e chora feito uma boba fazendo um bico deste tamanho. E porque você é uma menina que não pisca nunca e seus olhos foram feitos na primeira noite da Criação, e você é capaz de ficar me olhando horas. E porque você é uma menina que tem medo de ver a Cara-na-Vidraça, e quando eu olho você muito tempo você vai ficando nervosa até eu dizer que estou brincando. E porque você é uma menina com uma flor e cativou meu coração e adora purê de batata, eu lhe peço que me sagre seu Constante e Fiel Cavalheiro.

E sendo você uma menina com uma flor, eu lhe peço também que nunca mais me deixe sozinho, como nesse último mês em Paris; fica tudo uma rua silenciosa e escura que não vai dar em lugar nenhum; os móveis ficam parados me olhando com pena; é um vazio tão grande que as mulheres nem ousam me amar porque dariam tudo para ter um poeta penando assim por elas, a mão no queixo, a perna cruzada triste e aquele olhar que não vê. E porque você
é a única menina com uma flor que eu conheço, eu escrevi uma canção tão bonita para você, “Minha namorada”,
a fim de que, quando eu morrer, você, se por acaso não morrer também, fique deitadinha abraçada com Nounouse cantando sem voz aquele pedaço que eu digo que você
tem de ser a estrela derradeira, minha amiga e companheira, no infinito de nós dois.

E já que você é uma menina com uma flor e eu estou vendo você subir agora – tão purinha entre as marias-sem-vergonha – a ladeira que traz ao nosso chalé, aqui nessas montanhas recortadas pela mão de Guignard; e o meu coração, como quando você me disse que me amava, põe-se a bater cada vez mais depressa.
E porque eu me levanto para recolher você no meu abraço, e o mato à nossa volta se faz murmuroso e se enche
de vaga-lumes enquanto a noite desce com seus segredos, suas mortes, seus espantos – eu sei, ah, eu sei que o meu amor por você é feito de todos os amores que eu já tive, e você é a filha dileta de todas as mulheres que eu amei; e que todas as mulheres que eu amei, como tristes estátuas ao longo da aléia de um jardim noturno, foram passando você de mão em mão até mim, cuspindo no seu rosto e enfrentando a sua fronte de grinaldas; foram passando você até mim entre cantos, súplicas e vociferações – porque você é linda, porque você é meiga e sobre tudo porque você é uma menina com uma flor.

vinícius de moraes